post_blog_19-12

valkirias: LUMBERJANES, AMIZADE É ‘TOPS’!

O site valkirias falou sobre o quadrinho Lumberjanes, vem conferir:

Apaixonada por quadrinhos como sou – e fã da incrível Noelle Stevenson, autora de Nimona eu não poderia deixar passar o lançamento de 2016 da Editora Devir, o quadrinho desenvolvido pela própria Noelle e outras artistas incríveis como Shannon Watters, Grace Ellis e Brooke A. Allen. Juntas, elas criaram as Lumberjanes, cinco amigas que estão passando o verão em um acampamento para garotas e se envolvem com mistérios sobrenaturais, muitas aventuras adolescentes e, claro, o fortalecimento da amizade entre elas.

Originalmente concebida como uma minissérie em oito partes, as aventuras das Lumberjanes tiveram uma recepção tão positiva nos Estados Unidos que o material acabou se transformando em uma série mensal. Além do grande apelo junto ao público, as Lumberjanes também conquistaram a crítica especializada ao receberem o prêmio Eisner – o Oscar dos quadrinhos – de Melhor Nova Série e de Melhor Série para Adolescentes em 2015. O diferencial de Lumberjanes está, claro, em ter sido uma trama criada por uma equipe completamente feminina, o que reflete especialmente na condução das histórias, na diversidade das personagens e, claro, na amizade entre elas.

As cinco amigas que protagonizam as quatro histórias presentes no encadernado número 1 – Jo, April, Mal, Molly e Ripley – não poderiam ser mais diferentes entre si. Tanto em suas características físicas quanto psicológicas, as cinco amigas poderão ser a inspiração para muitas meninas adolescentes, visto que elas são incrivelmente divertidas e donas do próprio nariz, se metendo em confusões pelo simples prazer de desafiar o novo e inexplorado. A variedade de personagens, suas etnias, características e gostos pessoais enriquece muito a trama, visto que os comportamentos diversos trazem um sem número de dinâmicas inspiradas para a história. O quinteto enfrentará yetis furiosos e monstros do rio, desafiará estátuas de pedra para uma queda de braço e tudo isso enquanto exploram uma caverna cheia de obstáculos e se embrenham por florestas à noite.

No Acampamento Para Moças Meninas da Pesada da Senhorita Qiunzella Thiskwin Penniquiqul Thistle Crumpet (ufa!), Jo, April, Mal, Molly e Ripley estão sob a tutela da escoteira mais experiente, Jen (que é negra, outro ponto para Lumberjanes), que, a princípio, não acredita nas histórias mirabolantes das cinco meninas, principalmente quando tais histórias estão reachadas de coisas estranhas, como um ataque inesperado de raposas e mensagens clamando por “cuidado com o sagrado gatinho!”. O que Jen não esperava, no entanto, é se ver envolvida nas aventuras das meninas ao mesmo tempo em que tentam fugir de um esquisito grupo de garotos escoteiros que parecem ter dupla personalidade – e tudo isso enquanto ganham distintivos de “Varei a Noite” para excursões noturnas à floresta, de “Boa na Canoa” para a habilidade de remo no rio e “Distintilho Trocativo”, para trocadilhos espirituosos.

As autoras se apropriam da mística dos acampamentos de verão norte-americanos e os escoteiros para criar um ambiente recreativo no qual as cinco meninas podem se expressar e desenvolver a própria narrativa – o nome do grupo, inclusive, Lumberjanes, vem de um trocadilho com a palavra em inglês lumberjackque nada mais é do que lenhador em português. Ao trocar o final da palavra, ‘jack’, por ‘jane’, as autoras criam uma denominação que subverte seu significado original, tornando feminina uma palavra – e, por que não – uma atividade tão masculina.

O divertido de acompanhar as aventuras das Lumberjanes é que elas, em momento algum, deixam de se divertir ou de descobrir o novo por serem meninas. Elas se jogam no desconhecido, enfrentam desafios e sempre mantem o bom humor e independência enquanto reforçam seus laços de amizade. Uma das características mais divertidas do texto do quadrinho são as referências das garotas: no lugar de simplesmente gritarem de susto ou usar uma onomatopeia comum de espanto, as meninas exclamam evocando nomes como os de Joan Jett, cantora norte-americana, ou Mae Jemison, primeira astronauta afro-americana. Incluir esse tipo de referência durante a trama trabalha à favor de seu leitor que poderá descobrir novas mulheres maravilhosas em que se inspirar.

Por boa parte do quadrinho, inclusive, não há personagens masculinos relevantes. Eles até aparecem em forma de estátua, se é que dá para considerá-la um personagem relevante, e em um dos capítulos há o grupo de escoteiros e o líder misterioso – e louco – deles, mas todas as personagens com nome, interesses e histórias são femininas. Além de Jen, temos outra figura de poder na diretora do Acampamento Para Moças Meninas da Pesada, Rosie. Ela parece saber bem o que está acontecendo no acampamento, principalmente com relação aos acontecimentos bizarros presenciados pelas meninas, mas só poderemos saber mais detalhes a respeito desse mistério nos próximos volumes de Lumberjanes.

As artistas responsáveis pelo design do quadrinho – Shannon Watters e Brooke A. Allen – conseguem passar com maestria a dinâmica das aventuras do quinteto por meio de suas ilustrações coloridas e vibrantes. O roteiro – de responsabilidade de Noelle Stevenson e Grace Ellis – não perde tempo com introduções longas e tediosas e parte logo para a aventura. Nas primeiras páginas já somos arremessadas no meio das confusões das cinco amigas e daí é só correria. O que poderia ficar confuso nas mãos de roteiristas menos aptos se transforma em uma sucessão de acontecimentos empolgantes, nos deixando reféns da história – eu, particularmente, não soltei o quadrinho enquanto não terminei de ler. As Lumberjanes não hesitam diante da ação e o enredo acelerado passa exatamente isso: uma sucessão de acontecimentos intercalados com boas doses de mistérios e desenvolvimento das personagens, tudo dosado de maneira a nos deixar sempre querendo mais. E, talvez, o único ponto negativo de Lumberjanes é justamente isso, a pouca quantidade de páginas (sempre vou querer mais quando adoro a história, desculpa mundo).

Não há dúvidas de que as histórias das Lumberjanes possuem todo o potencial para conquistar leitores de todas as idades, de meninas novinhas à adolescentes e adultas. As aventuras de Jo, April, Mal, Molly e Ripley são espirituosas e animadas, sempre regadas com muito girl power e amizade feminina, além de serem belamente diagramadas, desenhadas e coloridas. Embora não exista no Brasil uma tradição tão forte com os acampamentos de verão, é possível, mesmo assim, se ver identificar com as confusões que as cinco amigas se metem, principalmente pelo fato de que, tirando o fator sobrenatural, elas são garotas como eu ou você. Lumberjanes é um quadrinho indicado para todos aqueles que buscam um entretenimento encantador e, o principal, escrito e protagonizado inteiramente por mulheres. Como as próprias Lumberjanes não se cansam de dizer, “amizade é tops!” e você vai encontrar muito disso nessas histórias.

Texto: Thay
Créditos: valkirias

Comentários

comments

3 comentários em “valkirias: LUMBERJANES, AMIZADE É ‘TOPS’!Comentar →

  1. It’s appropriate time to make a few plans for the long run and it is time to be happy. I have learn this post and if I could I desire to recommend you some interesting things or advice. Maybe you can write next articles relating to this article. I wish to read even more things approximately it!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *